Por: Claudia Sartori

 

Você sabia que, no Brasil, existem várias praias liberada totalmente para o nudismo?

O Nudismo, ou melhor, dizendo, Naturismo, segundo a Federação Brasileira de Naturismo, é visto como uma forma natural de vivenciar todo o esplendor da natureza, buscando, principalmente, fins terapêuticos. Assim, o naturismo engloba um conjunto de comportamentos e princípios éticos, priorizando a natureza, vida ao ar livre, prática do nudismo e preconizando uma alimentação natural.

A nudez coletiva é vista como ponto-chave para elevar a autoestima, pois a pessoa acaba aceitando seu corpo como ele é e suas mudanças ao longo da vida, além de incentivar o respeito ao seu semelhante e com a natureza.

O naturismo surgiu no Brasil, mais precisamente na Ilha do Sol na Baia de Guanabara – Rio de Janeiro, por meio de uma mulher, Dora Vivaqua (Vedete Luz Del Fuego) que tinha em mente que o corpo humano não produzia indecência, mas sim as vestes, que o tornava cobiçado e levando a pensamentos excitantes. E assim foi, até a sua morte em 1967.

Com a vinda do regime militar, a prática ficou abafada, mas voltou com força total na década de 80 em Camboriú – SC, Praia do Pinho, onde foi recriado, por um grupo de naturista, a Federação Brasileira de Naturismo (FBrN).

  

A Federação foi de fundamental importância para a criação do código de ética, altamente respeitado. A punição é a expulsão permanente do local, se houver infringência às normas, dentre elas: comportamento sexual inapropriado; filmar, fotografar e gravar naturistas sem permissão; causas constrangimento; ingerir bebidas alcoólicas ou deixar lixo em locais inapropriados, causando danos à fauna e à flora.

Curiosidade: em muitas praias, não é permitida a entrada de homens, sem as companheiras, a não ser que ele seja cadastrado e sócio da Federação; mas não pense que é só entrar online e se cadastrar; é necessário uma avaliação.

Esse estilo de vida esta ganhando cada vez mais adeptos, atingindo hoje mais de 300 mil pessoas, no Brasil, e mais de 90 milhões de peladões, pelo mundo afora.

No Brasil, regulamentada oficialmente, temos 8 praias naturistas e 21 espaços, englobando não somente as praias, mas também Pousadas e clubes associados a Federação Brasileira de Naturismo (FBrN).

Praia de Massarandupió, Entre Rios – Bahia

A prática é permitida desde 1999. Fica na região da Costa do Sauípe, a 80 Km de Salvador.

São 2 Km de faixa de areia para os naturistas e a procura é tanta, que a frequência chega a 400 pessoas no fim de semana.

É considerada a maior praia de nudismo do Brasil. A infraestrutura engloba apenas dois bares e um restaurante rústico. Tem área para Camping.

Praia do Pinho – Camboriú – SC

Essa praia, por ser a mais tradicional e antiga para o naturismo, é muito conhecida. E possui uma ótima infraestrutura: com pousadas, bares, camping, banheiros e estacionamentos.

Por atrair centenas de curiosos, a praia tem um bom monitoramento e, caso você entre vestido, é convidado a se retirar.

Curiosidade: Uma das Normas Éticas do Naturismo Brasileiro é a proibição de fazer as necessidades fisiológicas em meio à praia ou até mesmo “no matinho”. Pelo jeito, tem pessoas que exageram no contato com a natureza =D

Praia de Pedras Altas – Palhoça – SC

Sua prática começou em 1992.

Uma praia de água cristalina e calma, ideal para crianças. Foi dividida em dois trechos: um é para pessoas desacompanhadas e, a outra, para famílias e casais.

Possui restaurante, pousada e uma área de camping.

 Praia de Galheta – Florianópolis – SC

Foi legalizada em 1997.

Por ficar em um Parque ecológico preservado, não é permitido hospedar-se e comer no local. Mas, como essa praia fica na cidade de Florianópolis, as pessoas acabam encontrando toda a infraestrutura de que precisam na própria cidade.

Essa praia de quase 1 km é um pouco mais liberal e o nudismo é opcional. Por não ter uma fiscalização mais rígida, podem-se flagrar casais em momentos um pouco mais íntimo =O

Como o mar é bravo, existe sempre a presença de surfistas.

Não tem infraestrutura.

Praia de Abricó – RJ

A praia esta localizada perto da Reserva da Prainha, na Zona Sul de Rio de Janeiro.

Segundo Pedro Ribeiro, Presidente da FBrN, nos contou:A praia de Abricó, no Rio de Janeiro, decorre de decreto municipal desde 1994, mas houve problemas com a Justiça e ficou proibida a frequência de naturistas até 2003, quando voltou a valer o decreto de 1994. Portanto, não é mais proibido ficar nu na praia oficialmente. Em 2014, veio uma lei municipal que confirmou o decreto de 1994. Há infraestrutura, com barraqueiros, na parte naturista, e um restaurante na entrada da praia, na parte não naturista.”

Permite que curiosos frequentem a praia, onde o nudismo é opcional, de segunda a quinta. Já, nos outros dias, a prática é obrigatória e conta com seguranças monitorados.

Olho de Boi – Búzios – RJ

O seu mar é calmo, cristalino e ótimo para nadar com peixes. Mas, não possui infraestrutura alguma, ou seja: sujou, recolha e leve contigo.

A nudez, nesta praia, é opcional. Homens podem entrar desacompanhados.

Tambaba – Conde – Paraíba

Foi oficializada em 1989.

De areia clara, mar calmo, de cor esmeralda e sol brilhando quase todos os dias do ano, é considerada um paraíso de beleza única, onde a privacidade é garantida pelas altas falésia e formações rochosas, além de ser bem monitorada.

Ainda segundo Pedro Ribeiro: “Ela é dividida em apenas duas partes. Na primeira, a nudez não é mais permitida. Na segunda, a nudez é obrigatória. Na parte obrigatória, entram somente casais, de qualquer gênero, e famílias. Homens desacompanhados de mulher somente entram sendo portador do Cartão INF internacional, que é fornecido pela FBrN aos membros associados das associações filiadas.”

Existem pousadas na região e uma delas é totalmente naturista; seus hospedes podem ficar à vontade, 24 horas por dia.

Praia Barra Seca – Linhares – Espírito Santo

Apesar de ser uma praia extensa (10 Km), apenas 200m são destinados ao naturismo.

É margeada por rios e coqueirais. Para se chegar à praia, deve-se atravessar o Rio Ipiranga, por meio de barcos, onde se pode ver a junção do rio com o mar. É um local bem familiar e com condutas rígidas de comportamento.

Não tem infraestrutura, mas a 1 km da praia encontram-se pousadas e área de camping.

As fotos foram, gentilmente, cedidas pela Federação Brasileira de Naturismo e Jornal Olho nu.

 

Gostou do post? Deixe seu comentário.

Leia também:

Praia do Forte: um pedacinho do paraíso

Conexão em Salvador: o que fazer?

Resort Iberostar Bahia: como é se hospedar lá

Passeio no Navio Veleiro: só se for o da Marinha

vem, qu’eu te levo para Dubai

Você que adora viajar, sabe o que é STOPOVER

2 COMENTÁRIOS

    • Obrigada Eliana, esse artigo tem o principal intuito de trazer conhecimento do estilo de vida e lugares já regulamentados para a prática.
      Nos acompanhe no Facebook e instagram, estamos com novidade. Abraços.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui