Luxembourg city

Por: Claudia Sartori

 

Estávamos na Alemanha, a caminho da Suíça, quando olhando o mapa, meus olhos se direcionaram para um pequeno país encostado ao país alemão. Seu modesto tamanho me chamou a atenção e busquei saber mais a respeito.

Esse país se chama Luxemburgo, sua capital possui o mesmo nome, e faz fronteira entre Alemanha, Bélgica e França. É um grã-Ducado e membro fundador da União Europeia, OTAN, OCDE e Nações Unidas.

Sua região é realmente pequena, com uma área de 2589 quilômetros quadrados e um pouco mais de 509 mil habitantes. Não é à toa, que é considerado um dos menores países do mundo.

Luxemburgo esta situada no centro da Europa

Olhando as imagens do país, resolvemos retornar e conhecê-lo melhor. Ao entrar na cidade, a impressão que se tem, é de estar voltando ao passado, com sua fantástica arquitetura medieval.

Possui uma serenidade típica de cidade do interior. E pensar, que em um lugar tão tranquilo, possui importantes órgãos governamentais: como a sede do Tribunal de Justiça Europeia e do Banco Europeu de investimento.

Na realidade, a cidade de Luxemburgo é uma das mais ricas do mundo, o salário mínimo é de quase 2,000 Euros, o mais alto da Europa =O… Mas, não se engane, o custo de vida também é bem alto.

 

Place Guillaume II

Essa praça é no centro da cidade e serve como ponto de partida para os passeios, principalmente, se você tiver apenas um dia para conhecer Luxemburgo.

Nessa região, percebe-se que as atrações se “fundem”, pois estão todas praticamente encostadas. É nessa praça, que fica o monumento de Willian II, o Rei do Gran-Ducado de Luxemburgo.

Passe também no City Tourist Office, encostado a praça, e pegue o seu mapa e o ingresso para o Palácio dos Grão-Duques.

Monumento Willian II – Luxemburgo – Vem, qu’eu te levo.
Place Guillaume II – ao entardecer – Vem, qu’eu te levo

 

   Palácio dos Grão-Duques

Esse Palácio tem uma mistura arquitetônica barroca-renascentista bastante interessante. Ele é a residência oficial dos Grão-duques.

Mas antes de se tornar o Palácio Grã-Ducal, ele abrigou a Câmara Municipal e a sede da Prefeitura do departamento de Forêst. Somente depois de sua expansão, tornou-se o Palácio, propriamente dito. E, partes dele, estão abertas ao público para visitação, guiada em inglês, Frances, alemão e luxemburguês.

Fachada do Palácio – Vem, qu’eu te levo
Detalhes da fachada do Palácio – Vem, qu’eu te levo
Frente do Palácio Grã-Ducal – Vem, qu’eu te levo
Passarela moderna contrasta, dando um charme a mais nos antigos prédios – Vem, qu’eu te levo

Em frente ao Palácio tem o Chocolate House. O diferencial dessa casa é poder escolher o chocolate em potinho com colher em uma prateleira com centenas de sabores.

Chocolate House, enorme variedade em sabores – Vem, qu’eu te levo

Nessa região, pode-se passear a pé, em praças bem interessantes, como: Place d’Armes e Place Clairefontaine.

 

Catedral de Notre-Dame

É uma Catedral Católica Romana. Possui uma parte mais antiga, que para muitas pessoas, é a mais bonita e a parte recente, em estilo gótico e adornos renascentistas. Suas torres pontiagudas se destacam em toda a região e te instiga a conhecê-la melhor.

No final do século XVIII, a igreja recebeu a padroeira da cidade e nações, a imagem de Maria Consoladora dos Aflitos. Depois de 50 anos, a igreja foi consagrada como Igreja de Nossa Senhora e em 1870, foi elevada a Catedral de Notre-Dame pelo Papa Pio IX.

Cathédrale Notre-Dame de Luxembourg – Vem, qu’eu te levo
Interior da Catedral Notre-Dame – Vem, qu’eu te levo

Aproveite também para visitar a Biblioteca Nacional, que fica ao lado da Catedral.

 

Cité Judiciare

A vista dessa região é magnífica, é como se fosse uma prévia do que se verá na Varanda de Cornishe. E de quebra, ainda se vislumbra com a arquitetura dos prédios públicos da cidade judiciária.

 

Cidade Judiciária de Luxemburgo – Vem, qu’eu te levo

 

Modernidade na cidade do Judiciário – Vem, qu’eu te levo
cité Judiciare – vem, qu’eu te levo

Varanda de Cornishe

A vista dessa região é um cartão-postal. Fica ao alto de montanhas íngremes com extraordinária vista para desfiladeiros e vales. Da parte mais alta, também chamada “Varanda mais bonita da Europa”, pode-se contemplar a parte mais antiga da cidade, que é cortada pelo rio, e a Abadia Neumünster.

 

Fortificações na cidade – vem, qu’eu te levo
Vista da cidade baixa – Vem, qu’eu te levo
Cidade Baixa em Luxemburgo – Vem, qu’eu te levo

A Abadia Neumüster foi uma região que já serviu de delegacia e prisão estadual. Na Segunda Guerra Mundial, os nazistas usaram o prédio para prender opositores políticos à ocupação da Alemanha.

Abadia Neumüster – Vem, qu’eu te levo

Hoje, Abadia é o ponto de encontro cultural, abrigando concertos, seminários e exposições.

Se você estiver apenas de passagem por Luxemburgo, não deixe de visitar essa região, ela é realmente incrível.

E no final do trajeto por Cornish, encontram-se as magníficas Bock Casemates.

Bock Casemates

São dois quilômetros de túneis subterrâneos construídos na rocha. Era um ponto de defesa, que abrigavam pessoas na época da dominação espanhola. Hoje, é Patrimônio da UNESCO.

Túnel de Bock Casemates – Vem, qu’eu te levo

Dentro, é um amaranhado de túneis; precisa-se de um mapinha, que pega quando se compra o bilhete. Não deixe de contemplar a vista pelas janelas.

Janela com vista para a cidade dentro do túnel – Vem, qu’eu te levo
Edificações na Rocha – Vem, qu’eu te levo
Vista da Cidade de Luxemburgo – Vem, qu’eu te levo

De lá, pode-se ver também uma pequena vinícola. Suas garrafas de vinho são usadas somente pelo primeiro-ministro em suas recepções.

 

Vallé de La Petrusse

É um parque que fica aos pés das Casemates de La Pétrusse, que, como a Casemates Bock, são galerias subterrâneas. Fica uma ao lado da outra.

Pode-se também fazer um percurso no calçadão do vale, de um pouco mais de meio quilometro, entre a Ponte Adolphe e Viaduc; onde, além de observar as edificações, pode-se contemplar o parque, que por si só é muito charmoso. A área serve para recreação e prática esportiva.

Passarelle – Vem, qu’eu te levo

A construção do Viaduc ou Passarelle, em arco, foi com a pretensão de não prejudicar a visão defensiva das fortalezas na época. O viaduto liga o centro da cidade com a estação ferroviária da nova Luxemburgo.

Ponte Adolphe – Vem, qu’eu te levo

A Ponte Adolphe é o símbolo Nacional da independência de Luxemburgo e a sua melhor visão é pela Place de La Constituition. Divide a cidade de Luxemburgo em duas: a cidade Alta e Plateau Bourbon.

 

Place de La Constituition

Essa é uma maravilhosa praça que foi construída em homenagem aos soldados mortos na primeira Grande Guerra. Encontra-se também a Golden Lady (Gëlle Fra ou mulher de ouro), que é um obelisco com a estátua de Nike, a Deusa da Vitória, e representa as luxemburguesas que se voluntariaram para as duas Guerras Mundiais e Guerra da Coréia. Nos dias de sol, o dourado do obelisco brilha de uma forma única.

 

 

Mulher de ouro – Vem, qu’eu te levo

 

Place de la Constituition – Vem, qu’eu te levo

A vista é privilegiada tanto para o Vale de La Pétrusse, como da Ponte Adolphe.

 

 Castelo de Vianden

Para quem tem mais de dois dias para passear em Luxemburgo e curte um belo castelo no alto de uma montanha, com uma vista altamente pitoresca, esse é o local.

Vianden é uma cidadela a 50 km de Luxemburgo e fazer um bate e volta de carro é bem rápido. O Castelo esta tão no alto, que já na estrada pode-se vê-lo. Não deixe de parar no mirante para tirar fotos, a vista é absurdamente linda!

castelo de Vianden – Vem, qu’eu te levo

Para subir ao castelo, tem um teleférico que acaba em um café, para depois partir para a visita, propriamente dita, do Castelo.

A cidade de Vianden tem inúmeros restaurantes pela vila, vale muito a pena, fazer um lanche ou mesmo almoçar por lá.

Ruas em Vianden, observa-se o Castelo acima- Vem, qu’eu te levo

 

Museu Victor Hugo

Aproveitando ainda a viagem a Vianden, visite esse museu. Este foi exatamente onde ficou exilado o famoso escritor Francês, autor de importantes obras, entre elas: Os Miseráveis. Podem-se encontrar bens pessoais e obras do romancista.

 

Estátua de Victor Hugo, romancista – Vem, qu’eu te levo

 

Distrito de Grund

Voltando para a cidade de Luxemburgo, exatamente no centro, encontramos as margens do rio Alzette, um pitoresco e calmo bairro da cidade antiga, chamado Grund.

Ruas em Grund – Vem, qu’eu te levo

Se você estiver na cidade alta, simplesmente pode pegar um elevador que fica dentro de uma gruta, localizada perto a Cité Judiciaire, que liga a cidade alta da baixa.

Rio Alzette em Grund – Vem, qu’eu te levo
As casas em Grund – Vem, qu’eu te levo

Nessa região, encontram-se de tudo, belas ruas estreitas, lindas casas, restaurantes típicos, bares, cafés e feiras de artesanatos. Alias, o povo luxemburguês adora uma feira, seja de artesanato ou gastronômica. Praticamente, todo mês tem algum tipo de feira na região.

Agora se você é do tipo que não curte muito andar ou não pode, tem a opção de fazer os trajetos com os ônibus vermelho de dois andares, o City Sightseeing Luxembourg. O ticket é comprado no próprio ônibus, em qualquer estação.

Tem também o trenzinho verde, Petrussé Express, que passa pelos principais pontos turísticos. Os Tickets são comprados na Place de La Constituition. Em nível de comparação, o trajeto feito pelo ônibus é maior.

                                     

Mudam Luxemburgo Modern Art Museum

Está localizado no centro histórico de Luxemburgo. Seu estilo futurista foi construída sob antigas ruínas, contrastando com várias fortificações do século XVII ao seu redor. É um museu de arte moderna, abrigando obras de mais de 100 artistas contemporâneos. Vários espaços internos possuem tetos transparentes, permitindo a entrada de luz, dando ao local um realce singular.

 

Escadaria Museu Mudam

 

                                 

Museu Mudam, construído sob rochas – Vem, qu’eu te levo

  

 

 

Informaçãos úteis:

Idioma oficial: Luxemburguês, alemão e Frances. Mas, se você for falando inglês, não terá problemas, já que a grande maioria também fala o idioma.

Moeda: euro

Fuso horário: 4 horas de diferença, hora de Brasília (sem horário de verão).

Código DDI: +352

Tomada: 220 volts. Tomada tipo C (de dois pinos).

Transporte para chegar e locomoção dentro do país: chegamos de carro a Luxemburgo, pois alugamos um na Bélgica, para terminar o roteiro pela Europa. O aluguel de carro é uma excelente opção, já que o sistema rodoviário é bem sinalizado e o sistema de GPS dos carros é bem desenvolvido e fácil de entender. A educação dos motoristas luxemburgueses é exemplar! É fácil encontrar estacionamentos subterrâneos no centro de Luxemburgo.

O trem também é uma ótima opção, eles são realmente rápidos e muito confortáveis, sendo também um bom meio de transporte para chegar a Luxemburgo.

Pode-se também, optar por avião.

Dentro de Luxemburgo, a maioria das rotas de ônibus passa pelo Terminal Central e não faz somente a cidades. Tem algumas rotas para vilarejos, como: Mersch, Junglinster, Trier e Wasserbillig.

EstaçãoFerroviária em Luxemburgo – Vem, qu’eu te levo

Tempo de permanência: em regra, dois a três dias são suficientes para quitar todos os lugares. Caso estiver em países vizinhos, como Bélgica, Alemanha ou França, e fizer um bate-volta, vale muito a pena.

Melhor época: a temperatura média é por volta de 9 a 10 graus. O inverno, em Janeiro, é o mais frio, chegando a 0 grau, enquanto que julho é o mês mais quente, chegando à média de 20 graus. O mês da Primavera é o mais bonito para ir, que é entre abril e maio. Enquanto que, entre setembro e outubro, o outono presenteia a cidade com um cenário singular com suas folhas bem coloridas.

Seguro Viagem: Obrigatório na Europa

Número de emergência: 112/113 (polícia); 112 (ambulância)

*Luxemburgo não possui Representação Diplomática do Brasil, assim, é importante ter em mãos o contato do Consulado-Geral do Brasil em Bruxelas, para assistência consular, caso necessário.

Gostou deste post? Gostaria de nos acompanhar nas redes sociais e ficar antenados nas principais dicas e viagens nacionais e internacionais. Siga a gente, no Facebook / Instagram /  youtube

Compartilhe com os amigos nas redes sociais! Os botões estão logo abaixo do texto. Deixe também seu comentário.

 

Leia também:

Passagens aéreas mais baratas: dicas surpreendentes

Praia do Forte: um pedacinho do céu

Conexão em Salvador: o que fazer

Voce que adora viajar: sabe o que STOPOVER?

Passeio no Navio Veleiro: só se for o da Marinha

Ferrari Word: um mundo a parte

Doha: vale a pena conhecer?

 

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui